Apresentação do Cordel Jeito diferente de falar

terça-feira, 5 de junho de 2018

DIA DO MEIO AMBIENTE


Todo dia tem que ser
Dia do meio ambiente
Pra quem pensa no futuro
Tem que agir no presente
Não polua, não desmate...
Fuja desse disparate
Com atitude consciente!

Quem destrói a natureza
Não pensa na própria vida
Não age com consciência
É também um suicida
Comete assim tolice
E nesse ato de sandice
Deixa a vida destruída...

Vamos pensar no futuro
Bem antenados ficar
E na atual conjuntura
Essa causa abraçar
Uma atitude descente
Salvar o meio ambiente
Pra vida continuar...

Defender a natureza
Dar um basta ao agressor
Pois ela é fonte de vida
Bela obra do criador
Santuário de beleza
Grande fonte de riqueza
Seja mais um defensor...

Quem destrói a natureza
Comete um grande pecado
Deve tá fora de si
E também desinformado
Age como um insano
Perverso e desumano
Sem noção, mal educado...

Abracemos essa ideia
Vamos todos dar as mãos
Com mudança de atitude
Em prol da preservação...
Nossas florestas salvar
Nascente, lago, rio e mar...
Sofrem com a poluição!

Juarês Alencar Pereira
05-06-2018.

domingo, 20 de maio de 2018

quarta-feira, 16 de maio de 2018

TRABALHO ESCRAVO CONTEMPORÂNEO



A história da escravidão
Vem desde a antiguidade
Mas permanece até hoje
Com tamanha crueldade
Ainda que diferente
Corrói a dignidade.

Não existem mais senzalas
Tronco e corrente a mão
mais permanece ainda
A terrível opressão
Que mancha a humanidade
Com a mesma exploração.

De uma forma sorrateira
A exploração disfarçada
Não há troncos e correntes
Mas continua atrelada
A cruel exploração
E a mão de obra forçada.

Fere os direitos humanos
Nega a constituição
Quem esse crime comete
Merece ter punição
Ser julgado pela lei
E condenado a prisão.

Segundo o código penal
São infrações trabalhistas
Essa forma de trabalho
Análogo ao escravista
Prática de exploração
Da classe capitalista.

Na contra da justiça
Numa prática adversa
O homem fica oprimido
Nessa penúria perversa
Sendo o mesmo aliciado
E aprisionado por promessas.

São fortes os elementos
Da terrível exploração
Configurando o trabalho
Que é igual à escravidão
Com as jornadas exaustivas
E as dívidas ao patrão...

A nova forma escravista
No campo ou na cidade
Seja em qualquer lugar
É uma atrocidade
Vergonha e desrespeito
Também desonestidade.

As jornadas exaustivas
É sinal de escravidão
Fiquemos sempre alerta
Em qualquer situação
Há lei é pra se cumprir
Não é pra violação

Essa forma de trabalho
Com jornadas exaustivas
Com alimentação precária
E vigilância ostensiva
São condições subumanas
Duras práticas abusivas.

Foi no século dezenove
A famosa abolição
Assinou-se a lei Áurea
E a falsa libertação
pois até hoje perdura
vergonhosa escravidão.

Fiquemos de olhos abertos
no combate a escravidão
Vamos unir nossas forças
Para a erradicação
A essa prática nefasta
Vamos todos dar um não!


Juarês Alencar Pereira
Gerência de Cultura- Seduc