Apresentação do Cordel Jeito diferente de falar

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Zica, Dengue e Chikungunya

Quero ao povo brasileiro
Fazer uma convocação
Com relação à saúde
De toda população
Pois quem os olhos não abrir
E essa camisa vestir
Corre risco de montão.

Por isso apelo a todos
Através desses meus versos
Vamos combater o AEDES
Esse mosquito perverso
Que assola o Brasil inteiro
Êta bicho traiçoeiro
Fazer mal é seu sucesso.

Não pode um país tão grande
Perder pra um mosquito a guerra
Precisamos agir logo
Se não a gente se ferra
A batalha está travada
Com a vigilância acirrada
Com esta arma nunca erra.

Vamos vestir a camisa
Vamos ter essa atitude
Entrar na luta com garra
Para que o cenário mude
Vencer o mal que agora
A tranquilidade devora
Assolando a saúde.

Vamos estar bem atentos
Com tanta evolução
Pois até o tal mosquito
Tá sempre em mutação
A dengue e a ZIkA se uniu
A chikungunya atraiu
A tríade da maldição.

Vieram foi de com força
Pra população assolar
Com tamanha gravidade
E o terror a espalhar
As grávidas principalmente
Num estado frágil sente
A microcefalia assustar.

Com o mosquito não brinque
Vamos o tal eliminar
Combater todos os focos
Pra ele não procriar
O lixo e água parada
Propicia a morada
Para se multiplicar.

Diante desse problema
Nova postura adote
Vamos atentos ficar
Limpar bem casa e lote
A chikungunya não queira
A dengue e a zika treiteira
Estão no mesmo pacote.

Parece uma praga do Egito
Que a muito tempo ocorreu
Causando um mal estar
Todo o povo acometeu
Com grande tribulação
E terrível situação
Muita gente até morreu.

Vamos atentos ficar
Redobrar todo cuidado
Toda vigilância é pouca
Com trabalho acirrado
Não dá vez ao mal feitor
Combater o tal vetor
É o melhor passo já dado.

Que todos façam a sua parte
Firmando as parcerias
Poder público de um lado
Limpando todas as vias
E seja você um fiscal
Denunciando o local
Onde a larva se cria.

Juarês Alencar Pereira

GER. Cultura – SEDUC-T